Buscar processo     
junjulho de 2017ago
domsegterquaquisexsáb
2526272829301
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
303112345
Prefeitura Municipal de Goiânia
Governo do Estado de Goiás
Governo Federal
Sindicato dos Funcionários do Legislativo Goianiense
Acompanhe-nos

Siga-nos no Twitter Acompanhe-nos no YouTube Acompanhe nossas notícias através do nosso RSS Acesse a nossa fanpage
Notícias Voltar
REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DA CCJ VAI VOTAR PISO DOS PROFESSORES REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DA CCJ VAI VOTAR PISO DOS PROFESSORES
23/06/2010 10:45
A matéria ainda prevê instituição do RETP para os guardas municipais e reajuste relativo à data-base de todos os servidores municipais.
A Comissão de Constituição e Justiça-CCJ se reúne extraordinariamente na próxima segunda-feira, dia 28, às 9 horas, na sala das comissões, para apreciar e votar o relatório do vereador Virmondes Cruvinel(PSDC) ao projeto de lei do Executivo que concede piso salarial para os professores do município, Regime Especial de Trabalho Policial para os guardas e inspetores municipais e o reajuste da data-base para os demais servidores, que receberão 5,02% de acréscimo salarial divididos em duas parcelas.

O pedido foi feito pelo relator que durante o dia de hoje pretende enviar cópia de seu relatório com as emendas já sugeridas pelas categorias durante audiências e assembléias realizadas nos últimos dias para que os membros da CCJ conheçam as principais reivindicações. Também foi incluída emenda que concede o reajuste de 5,02% aos auditores fiscais da Prefeitura.

Os vereadores pretendem ainda manter diálogo com o Paço Municipal nesses dois dias a fim de resolver o impasse com relação ao piso salarial da educação e à greve dos educadores paralisados desde o último dia 20 de maio. “A intenção é fechar o relatório, votar na CCJ segunda-feira(28) para que a matéria entre na pauta do dia já na terça-feira, dia 29”, adiantou o presidente da CCJ, Paulo Borges.

Caso a previsão se confirme, o projeto seguirá para a segunda comissão, do Trabalho e Servidores Públicos, que também emitirá parecer, para após 24 horas, ser novamente discutido em plenário, antes de seguir para sanção do Executivo.

IMPASSE
No projeto inicial, a Prefeitura propôs um piso de R$ 1.024,67 para uma jornada semanal de 30 horas para o professor de nível superior(com licenciatura) e R$ 824,35 para nível de ensino médio normal.O Sindicato dos Trabalhadores na Educação-Sintego apresenta proposta diferente: defende um piso de R$ 1.312,85 para o início de carreira.

A presidente do Sintego, Yêda Leal, que compareceu à reunião da CCJ explicou que este valor corresponde ao piso nacional aprovado em 2008 de R$ 950,00 e que previa reajustes conforme índice custo/aluno do Fundeb-Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação.

“Em 2009, o índice foi reajustado em 19%,em 2010 sofreu o acréscimo de 15%, e com isso chega-se ao piso de R$ 1.312, 85”, disse. A sindicalista adicionou que a Prefeitura usou a interpretação da AGU-Advocacia Geral da União que reajustou o valor inicial aprovado pelo presidente Lula em percentuais inferiores. Yêda pediu empenho dos vereadores para que o problema seja resolvido. “Acreditamos que os vereadores precisam coletivamente defender uma educação de qualidade”, finalizou.

(Quézia Alcântara)
 
Todas as notícias
Câmara Municipal de Goiânia Av. Goiás, 2001 Setor Central - Goiânia - GO 74.063-900 Fone (62) 3524-4200